sexta-feira, 3 de julho de 2015

A melhor versão de ti próprio

A melhor versão de ti próprio

Por vezes a correria do dia-a-dia ou o tempo que passa sempre demasiado rápido retira-nos eficazmente a noção de qualidade de vida. Seguem-se os dias, os meses, os anos, uns atrás dos outros e nós limitamos a existência ao “ir esperando”. Esperamos por dias melhores, pessoas melhores, vidas melhores ou esperamos apenas que acabe e tudo passe. Chamamos de sonhos aos planos que fizemos, adiamos as coisas que queríamos fazer porque isto um dia vai melhorar. Será que vai?

Culpamos a economia pelo nosso insucesso, culpamos as pessoas pela nossa falha enquanto humanos, a culpa é sempre externa aos nossos poderes. Arranjamos coragem para sair de casa sempre com um sorriso quando no fundo temos um combate dentro de nós. Seguimos tendências e andamos em manada para não levantar muitas dúvidas acerca do que somos. Afinal nós somos tão normais. Vivemos aborrecidos com as decisões que tomamos e nem sempre aproveitamos as oportunidades porque dá tanto trabalho fazer bem feito. Não gostamos muito de ver os nossos semelhantes felizes, principalmente felizes como nós não somos, não admitimos as diferenças e somos capazes de apontar os defeitos de toda a gente, afinal nós não os temos. Criticamos, invejamos, minamos a vida dos outros porque isso é dos maiores prazeres da nossa vida tão pouco significante?

Encontramos o caminho para a lua mas não conseguimos encontrar o caminho para o bem-estar, aqui na terra. Será pedir muito? Bem-estar. Se cada um de nós aplicasse em si próprio o que exige das pessoas que o rodeiam, talvez conseguíssemos ter uma sociedade mais capaz e uma sociedade mais feliz também.

Por tudo isto e mais algumas coisas… ganhemos vergonha na cara! Se não somos exemplos não podemos inventar regras, temos uma única vida para cuidar e muitas vezes nem dessa que é nossa, damos conta. Somos humanos e obviamente que teremos sempre defeitos, mas é possível melhorar, é possível fazer melhor da próxima vez, é um dever teu seres a melhor versão de ti próprio. Ser melhor não só pelos outros, mas principalmente por ti. Para que não sejas eternamente um parasita. Porque é isso que és.

Todos os dias contam, o passado não volta e não sabes se terás um futuro, por isso é importante começar agora. Começa por te encontrar, por te conhecer e por te amar. Pessoas que se amam têm muito menos tendência a fazer mal aos outros. Encontra também uma personalidade, faz falta! Cria um estilo de vida próprio que te faça sentir bem porque aquele que tentas copiar não é o teu, muda as coisas até que elas façam sentido. É assim que se encontra a serenidade necessária para ser auto-suficiente e consequentemente estar de bem com a vida.

Afasta-te das pessoas que não te fazem bem, aquele tipo de pessoas que só quando te vêm mal é que conquistam a sua alegria? Foda-se esses “amigos”. Ninguém é obrigado a conviver com ninguém. Se determinada pessoa não te acrescenta em nada, tudo bem, deixa para lá. Temos que respeitar os nossos semelhantes mas não temos que gostar de toda a gente. Digam não à hipocrisia.

Não critiquem sem estar por dentro da situação. A maioria das pessoas gosta de fazer juízos sobre tanta coisa que não faz a mínima ideia do que se trata. Podes criticar determinada situação quando presenciaste toda a cena, quando sabes todas as condições, tudo o que se disse e fez. Não podes dar opinião de algo que não sabes! Como podes julgar alguém pelo que vês, se tu próprio também és imperfeito? Um dia também vais cometer erros ou fazer algo menos bem feito e muito provavelmente vais ter todos os dedos apontados porque ninguém se esqueceu do filho da puta que sempre foste.

A sociedade, dos nossos dias, trabalha duro para ter a aparência perfeita e a vida aparentemente perfeita e esqueceu-se que a parte de dentro também tem que ser aperfeiçoada. As nossas atitudes, a forma de pensar, de encarar a vida, de como lidamos com os problemas e frustrações, a forma como nos damos aos outros, como entramos e saímos da vida de alguém, até a maneira como nos deixámos lixar pode ser melhor se te conheceres e conheceres os teus limites.

É o meu desafio para ti, é um desafio para mim também: Vamos viver tentando ser sempre a melhor versão de nós mesmos. Vamos ser humildes, originais, únicos, bondosos. Vamos deixar de ser cúmplices ou reféns de pessoas incapazes, vira a mesa se for preciso mas não fiques ao lado de quem não merece a tua companhia ou o teu tempo. Acredito que esta seja a única forma de melhorar o mundo onde vivemos, cada um a fazer a sua pequena parte.